Leitores

terça-feira, 13 de julho de 2010

O Contato

Hoje o baile vai estar bombando! Caprichei no visual glamourosa e porpurinada! Toda cheirosinha! No caminho, um gari me perguntou se o que estou usando é mesmo um shortinho ou uma pintura corporal. Não entendi bem o comentário.
Minha amiga “Peteca” está me esperando na entrada. Claro que este não é o nome dela, é só um apelido carinhoso que os meninos da comunidade deram a ela. Dizem que é porque ela já pulou de mão em mão e gosta de uns tapinhas. Meu nome é Maria de Lurdes, mas não gosto. Geral me chama de Lulu ou de Luleth, a rainha do...
_Luleth, “demorô”, heim? “Vamô entrá” que tá cheio de homem bom lá dentro!
Às vezes ficamos com uns caras. A maioria "são" tudo uns ferrados que só andam a pé, mas servem pra dar uns amassos e pagar as bebidas.
_ Olha ali, Luleth! Maior filé! Coisa de outro mundo!
_ Quem? Aquele cara com um celular esquisito na mão?
_ Ele é meio estranho, deve ser gringo! Nem dança, fica só olhando as meninas!
_ É “rúim” de eu deixar escapar esse “alemão”! Vou mostrar pra ele como se dança aqui no morro!
_ Vai lá, arrasa, nem!
Quando danço, gosto de provocar fazendo caras e bocas. Ainda mais depois de passar a semana inteirinha pegando sol na laje e deixando a marquinha do biquíni visível em meus quadris. Os caras perdem a linha! Comecei leve para não deixar o gringo assustado. Aos poucos fui agitando e pegando mais pesado, com direito a dedinho na boca e tudo! Empinei bem minha bunda e flexionei os joelhos. Movimentos circulares e de vai e vem, como quem simula um coito. Já estava me esfregando toda no gringo quando notei que ele não me dava atenção! Ele só ficava mexendo naquele celular esquisito com um símbolo em forma de meia-lua e algo que parecia um número (que marca seria essa?). Será que ele está olhando para outra mulher? Isso eu não vou admitir! Melhor usar minha arma secreta: descer até o chão!
Rebolei com todo vigor, subia e descia em velocidades alternadas. Já estava toda suada e descabelada quando meu desempenho finalmente pareceu atrair o olhar do gringo. Cheguei bem perto dele e mandei um "papo-reto":
_ E aí? Vai ficar só olhando?
Fomos para um terreno baldio perto do estacionamento e fui logo mandando a real:
_ Não vai pensando que sou “facinha”, não! “Sô” novinha, tá ligado? Não vem achando que vai “fazê” o que quiser comigo!
Mas ele não fez nada. Me olhou dos pés à cabeça e me apontou aquele celular. Será que ele está me filmando pra colocar no youtube? De repente, ele digita alguma coisa no aparelho e finalmente fala alguma coisa:
_ Leitura completa. Resultado negativo. Abortar missão. Retorno imediato.
O alemão deu as costas e entrou no meio do matagal sem nem se despedir! Fiquei “boladona”! Peteca apareceu logo em seguida.
_ Luleth, te procurei feito doida! E aí? Pegou o cara?
_ Não entendi nada! Trouxe ele pra cá, disse a ele que não faço de tudo e, de repente, ele “meteu o pé”! Saiu sem nem dizer tchau!
_ Ai, que grosso! Vem, amiga! Esquece esse bichona!
_ Ei! Que barulho é esse?
Um zumbido metálico seguido de uma corrente de ar quente e luzes florescentes vindos do meio do matagal nos revela uma espécie de veículo com formas circulares flutuando sobre nós. A última coisa que reparei antes daquela nave entrar em órbita e desaparecer entre as nuvens foi o símbolo do celular desenhado na lataria.
_ Nossa! Eu disse que ele era de outro mundo!
_ Merda...
_ Que foi, Luleth?
_ Se eu soubesse que ele não estava a pé, juro que eu teria feito de tudo com ele!

4 comentários:

Jefferson de Morais disse...

hehe
Sensasional, Cliver!
Gostei bastante! rs

Abraço,
Jefferson.

Alessandro Rabello disse...

hahaha!! Puts! Abortar missão!rs
Muito fod...

João Berkel disse...

O Fantástico é sempre muito legal. Ótima visita, volte sempre.

Abraço Joe.

Chistopher Lemos disse...

Caralho qse pensei q era um exterminador do futuro.

huahuahuahua

Show de Bola.
Abraços
XumboX!