Leitores

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O Rei e o Inseto

Há poucos dias, encontrei uma jovem amiga que chorava por conta de um problema aparentemente insolúvel. Ela estava transtornada e cheia de remorsos por acreditar ter cometido um grave erro. Sentei-me a seu lado e lhe contei a seguinte parábola:
Uma menina dormia sossegada em seu quarto quando, sentindo uma garra áspera e pontiaguda pousada em seu ombro, saltou da cama apavorada. Ela tateou a parede até encontrar o interruptor, mas, justamente naquela noite, faltou luz. A menina entrou em desespero e pôs-se a chorar diante da ameaçadora criatura que invadiu seu quarto. Ela não podia ver o monstro, mas ouvia aquele ruído demoníaco das asas draconianas que arranhavam os móveis na penumbra.
Foi quando uma luz trêmula e amarela adentrou o cômodo. A mãe da menina veio acudi-la trazendo uma vela. Como nada foi encontrado, a mãe tomou a filha carinhosamente pela mão e a levou dali para dormirem juntas.
Já de manhã, a menina voltou a seu quarto e encontrou o tenebroso intruso. Uma mariposa que havia entrado pela janela aberta. Armada com uma vassoura, a menina a expulsou sumariamente e riu de si mesma por seu poder imaginativo.
Com o final de minha narração, minha amiga perguntou: “Essa menina sou eu?”
Concordei dizendo: “Sim. A menina é você, o quarto sua consciência e a mariposa os problemas que insistem em nos tirar o sono e que, muitas vezes, são bem menores quando enxergamos com clareza. Sua mãe é alguém que te ama, que te deseja o bem. Quando alguém assim surgir em meio à escuridão, não se esconda. Permita que a luz, mesmo que de uma pequena chama, a conforte e lhe dê abrigo. Garanto que no dia seguinte, tudo parecerá mais claro.”
Minha amiga enxugou o rosto e lançou-me um sorriso de agradecimento. Antes de se despedir, quis um último conselho: “E se eu me distrair e esquecer novamente a janela aberta?”
Respondi de improviso:
“E quem disse que a janela deve ficar fechada? Uma janela aberta pode atrair uma mariposa, mas é através dela que deixamos o sol entrar. O sol é um astro-rei e a mariposa um reles inseto.”

Um comentário:

Luana Temperine disse...

Dia desses, me vi com uma "mariposa" desta em minha vida, lamentei profundamente não ter mais a minha mãe para ne dar abrigo e conforto, e agora que sou mãe, sou eu quem cumpro este papel. E justamente por isso tive que encontrar forças para eu mesma acender a luz do quarto e enxergar com clareza. A lição que aprendi, não devemos temer a mariposa, ela é inofensiva, e ainda nos presta um grande serviço livrando-nos dos pernilongos e mosquitos, esses sim, são perigosos, pois sorrateiros, sugam nosso sangue e nos trasmitem doenças. Aprendi a deixar as janelas abertas, deixo as mariposas entrarem, deixo o Sol entrar, às vezes os mosquitos entram, a chuva também, mas faz parte, A vida não é somente Sol, borboletas, mamriposas, têm os mosquitos, as tempestades,tudo mais que há. O que importa não é o tamanho do inseto ou a força do tempo que faz lá fora. Mas o tamanho do medo ou da coragem que sentimos diante deles!
Beijos carinhosos.