Leitores

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Morte Virtual

Meu Orkut sumiu! Morreu! “Deletou-se”! Só consigo atribuir a autoria deste crime a algum desses malditos vírus que assolam esses populares cubículos onde pagamos pelo tempo que queremos nos conectar (estou falando de uma lan house, não de um meretrício).
Claro que esta se trata de uma tragédia anunciada. Outros amigos tiveram o mesmo fim, mas sempre achamos que essas coisas só acontecem com os outros. E aqueles e-mails que eu vivia recebendo para repassar a todos meus contatos? Eu nunca os repassava e sempre havia uma promessa de azar aos que resolvessem ignorar a corrente. Teria sido essa a razão para o desaparecimento do meu perfil no Orkut? Eu deveria ter dado mais atenção a essas mensagens...
Alguém tem dúvidas da importância de uma conta num site de relacionamento de renome? É através deste site que mantenho contato com todos os meus amigos, atualizo minhas fotos, fico sabendo de tudo que está acontecendo com meus colegas, posso fuxicar a vida alheia, dar minha opinião em inúmeras comunidades... Perder o perfil nesta grande rede representa a própria morte sócio-virtual. É o mesmo que perder sua essência. Como alguém pode viver sem “Buddy Pokes” e recados animados?
Cheguei no trabalho, sentindo-me um fantasma a vagar. Percebendo minha profunda angústia, meu amigo da mesa ao lado perguntou-me o que havia acontecido e narrei minha triste história com toda paixão de um homem que se despede de sua própria alma. Por fim, ele deu de ombros e disse: Ora, por que não se cadastra novamente e abre uma nova conta?
...
Não sei o que me deixou mais chocado. Se foi a sua indiferença com meu problema ou a petulância em afirmar que meu drama pode ser resolvido de uma forma tão simples e prática...
Por falta de opção, acho que vou seguir este conselho... Vou reconstruir minha entidade virtual, postar novas fotos, adicionar todas as pessoas que tenho afinidade, distribuir recados divertidos...
Mas se este meu amigo do trabalho pensa que vou colocar uma estrelinha de fã e deixar um depoimento em seu perfil, ele está muito enganado. Ah, mas não vou mesmo!

Um comentário:

Luana Temperine disse...

A morte, bens sabes, é uma passagem. Morte é fraqueza da matéria, pois a alma forte nunca finda. Então não lamente, você transcende a isso. A essência permanece...
Obrigada por seus comentários em meu blog espero ter correspondido a altura.