Leitores

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Contemplado

Certa vez, estava eu em casa curtindo meu momento de preguiça e ociosidade quando acordei com o toque do meu celular indicando o recebimento de um torpedo. No corpo da mensagem, lia-se que eu era o vencedor de um concurso e que eu deveria ligar imediatamente para o número de telefone ali indicado. Ainda sonolento, resolvi ligar, mais por curiosidade que por credo. Do outro lado da linha, uma voz masculina e animada pediu que eu me identificasse e, em seguia, disparou com todo entusiasmo:
_Parabéns! O senhor é o mais novo contemplado de nossa promoção e acaba de ganhar um automóvel total flex zero quilômetro!!
Por um momento quis acreditar em tal prenda advinda de minha sorte, mas sabia que aquilo era tremendamente suspeito, mesmo porque não me lembrava de ter me inscrito em qualquer tipo de concurso, sorteio ou rifa. Fiz várias perguntas para comprovar a veracidade de tal promoção e o animado atendente parecia preparado para tirar todas as minhas dúvidas.
Por fim, ele me garantiu que o prêmio já era meu, mas para confirmar meu interesse em receber o automóvel eu deveria comprar duzentos reais em cartões telefônicos e informar o código de cada cartão. Tratava-se, sem dúvidas, de mais um desses golpistas e, por pouco, não caio nessa.
Desliguei o aparelho e me achei na obrigação de avisar às autoridades sobre este picareta. Não seria difícil localizá-lo, afinal, eu tinha o número do telefone dele! Ele não me enganou, mas poderia continuar enganando muitas pessoas se eu não tomasse alguma atitude.
Liguei para operadoras de telefonia fixa e móvel, mas ninguém soube me dizer exatamente como eu poderia proceder uma denúncia. Me indicaram vários telefones diferentes até que liguei para polícia que me orientou a fazer um registro de ocorrência juntamente à delegacia mais próxima de minha casa. A fim de cumprir com meu dever de cidadão, fui à 39ª DP (Pavuna) onde fui recebido por um policial com cara de poucos amigos que me desencorajou em minha busca por justiça alegando que esses golpes são rotina e não há nada que se possa fazer.
_ Se ele ao menos tivesse conseguido lhe dar o golpe nós poderíamos abrir uma ocorrência – acrescentou o policial afirmando que algo só é feito quando o golpe é bem sucedido e, ainda assim, não podemos considerar uma solução.
Voltei para casa com aquele sentimento de impotência, sabendo que o tal golpista continuará agindo impunemente.
Liguei a televisão e, coincidentemente, estava passando uma reportagem sobre uma senhora muito idosa que foi vítima desse mesmo golpe. A coitadinha sacrificou o dinheiro de seus remédios para garantir seu falso prêmio. Em entrevista, o excelentíssimo secretário de segurança orientou os telespectadores:
_ Não se deixem enganar por esses exploradores! Qualquer sinal de proposta duvidosa, liguem imediatamente para a polícia, pois temos um serviço de inteligência trabalhando para punir esses golpistas! Qualquer dúvida, o telefone de meu gabinete estará sempre à disposição.
Tomei nota do tal telefone. Ocupado. Insisti por um tempo até que chamou diversas vezes. Quando eu já estava desistindo, alguém atendeu.
_É da secretaria de segurança?
_Sim, pois não?
_Estou falando com o secretário de segurança?
_O próprio. Em quê posso ajudar, cidadão?
Não me contive... Inflei o peito e bradei com toda euforia:
__Parabéns! O senhor é o mais novo contemplado de nossa promoção e acaba de ganhar um automóvel total flex zero quilômetro!!

2 comentários:

Luana Temperine disse...

É caro amigo, eu também já fui contemplada por tal benéfice. É claro que também não caí no golpe, mas não tive a mesma boa vontade que você, de cumprir o meu papel de informar, e assim, evitar que outros, menos atentos, caiam. Parebéns pela sua atitude! E não importa o resusltado que obteve, importa que fez a sua parte PARABÉNS!

Jefferson de Morais disse...

Já ganhei milhares de casas, motocicletas e automóveis. Se todas as mensagens que recebi fossem verdadeiras, quiçá eu já tivesse me mudado para a Europa há alguns anos. Tomei a mesma atitude que você nas primeiras mensagens, mas, o mais engraçado (e triste) é que as autoridades, que deveriam tomar alguma atitude inteligente e impedir esse tipo de golpe, não fizeram absolutamente NADA.

É como costumo dizer: "Confio na justiça de Deus, porque, felizmente, ela não é brasileira".

Mas, como dissera a Luana, fizeste tua parte.

Parabéns.

Abraço.